Tempo - Viseu

mais sobre mim

Sexta-feira, 29 DE Setembro DE 2017

Restaurante Santa Luzia (Os segredos do)

 

RSL IMG_7342 b.jpg

 

              Há 39 anos, foi em 1978, os Deuses sentiram a necessidade de ter um lugar tranquilo onde fosse possível retemperar forças saboreando tudo o que de bom a terra pode oferecer ao homem para se alimentar. Para concretizarem tal desígnio os Deuses pesquisaram tudo, tudo, tudo, por todo o Mundo e só encontraram lugar em Viseu:

  • Encarregaram dois irmãos, o Vasco Trindade e o Jorge Ferreira para darem corpo ao projecto;
  • Deram os dotes que hoje dão estrelas às respectivas esposas Maria dos Anjos e Marciana Ferreira;
  • Adubaram a Quinta da Portela com fertilizantes eternos que permitem a produção de tomates, alfaces, couves, e outras delícias …
  • E para que nada falhasse os Deuses decretaram a sua instalação no Campo muito perto do Monte da Santa (Monte de Santa Luzia) que lhe deu o nome e os protege e vigia.

        Ficaram reunidas assim todas as condições para que o Restaurante Santa Luzia seja hoje o que é desde 1978: um local de culto da gastronomia tradicional Beirã.

  

starters.jpg

        Provar os tomates com sal nas entradas, aquele queijo velho curado e cortado como hóstia, aquele maldito chouriço ou a morcela da região, passar aos filetes de polvo com as migas de couve, as enguias fritas que saltam da gamela como no tempo do carapau de corrida, os míscaros com arroz com carne ou com cabrito, o rancho, o entrecosto cozido com os grêlos mais tenros da quinta, o arroz de costelas, a vitelinha ou aquela aba de vitela assada com as batatas, o esparregado, sem esquecer o bacalhau que vem mesmo de longe, o peixe do dia que chega da Vagueira, o cabrito do Caramulo ou a vitela de Lafões. 

 

IMG_1352 b.jpgthumb_600.jpgIMG_1351 b.jpg

 

     E para remate final a fruta, o leite-creme ou aquele requeijão com o doce de abóbora feito naquela cozinha ….

Sem esquecer os pratos de época como o sável, a lampreia, as cabidelas,…

E uma óptima garrafeira onde se recomendam os Dão das várias Quintas da Região, ... há sempre um novo a experimentar ...

        gallery-4-big.jpg       gallery-5-big.jpg

 

                Bons produtos excelentemente cozinhados por mãos das mestres cozinheiras e um serviço cuidado, simples e familiar onde os filhos já começam a ter o seu lugar.

 

        É assim há 39 anos e são estes os segredos do Restaurante Santa Luzia, em Viseu.

        Parabéns aos fundadores, às Chefes e a toda a excelente equipe. 

 


 

Ao Restaurante Santa Luzia, Viseu

 

Eu hoje não janto !

 

… e sempre que lá for almoçar,

faça como fazemos nós,

com a coisa a começar,

encha o peito de ar

e sussurre em viva voz

“Eu hoje não janto” !

 

Venham as morcelas, os tomates e a chouriça,

os brancos, os tintos e um pouco de água,

a farinheira, os queijos, ou a linguiça,

o sável frito, as enguias ou a pescada,

o feijão, o grão e as hortaliças,

os míscaros, as migas ou a vitela de aba,

os filetes de polvo ou o cabrito,

o arroz, o esparregado ou a batata assada,

aquelas costelas naquele vinhito

ou o entrecosto cozido com grelos.

E a culminar tanta opção

o leite creme ou o doce com requeijão.

 

Daquela cozinha tudo sai bem feito.

Da quinta os verdes e o que as terras dão,

tudo o mais seleccionado a preceito,

os peixes da Vagueira ou as carnes da região,

um serviço familiar dado ao respeito

e os melhores vinhos do Dão.

 

O Santa Luzia encanta toda a gente,

no outono, primavera, verão ou inverno,

com tão bons produtos e cozinha tão excelente

“...e que tudo o mais vá pro inferno !”

 

porep,

para o Santa Luzia no seu 39º Aniversário a 1 de Outubro de 2017.

  

 

 


publicado por porViseu às 11:37
Sexta-feira, 13 DE Fevereiro DE 2015

O que é que VISEU tem?

   Gastronomia: Entrecosto cozido com grêlos.

IMG_1197.JPG

 A gastronomia viseense é rica, original, muito apreciada mas pouco divulgada. Um forasteiro que passeie pela cidade ver-se-á grego para encontrar um restaurante que sirva gastronomia regional.

 

O “Cortiço” do D. Zeferino, seguramente o Restaurante mais conhecido fora de portas, criou uma ementa própria muito original com pratos que o proprietário descobria nas redondezas e a sua esposa, a D. Mimi, cozinhava com os seus reconhecidos e inimitáveis dotes. E por esta razão o Cortiço não pertence a este capítulo.

 

A cozinha tradicional beirã tem vários pratos únicos que deveriam ser anunciados e divulgados junto dos turistas que visitam a cidade. Embora haja uma larga oferta de restaurantes no centro da cidade a maioria deles tem-se virado para o mercado local procurando assegurar a sua clientela certa em função do mais baixo preço. E assim constata-se que os restaurantes mais conhecidos de cozinha tradicional beirã estão nos arredores da cidade: O Santa Luzia, o Forno da Mimi, o Quinta da Magarenha, o Caçador, o Tito, entre outros, todos eles servem cozinha regional mas estão nos arredores da cidade.

 

Um entrecosto cozido com grêlos é um prato muito apreciado e muito bem feito na nossa cidade. Óptimo entrecosto, aquela chouriça única local tão saborosa, a morcela, farinheira, umas batatas e os grelos locais são de criar água na boca a qualquer mortal. Um prato de inverno que se deveria divulgar e promover nesta época.

Fomos á Quinta da Magarenha comer o entrecosto cozido com grelos (na foto). Acompanhado com um Dão tinto “Vinha Paz” colheita de 2012 a refeição foi uma verdadeira iguaria.

E aqui se publica por não ter sido a primeira vez. A boa qualidade mantem-se e apresenta uma boa relação com o preço praticado.

 

Fantástico com se adivinha na foto.

 porep
Quinta da Magarenha
Caçador, Nó 20 (A25)
3505-577 Viseu
Telefone: 232 479 106 / 232 471 109 E-mail: quinta@magarenha.com
publicado por porViseu às 00:36

pesquisar

 

Livro porViseu

Setembro 2017

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
21
22
23
24
25
26
27
28
30

comentários recentes

  • Pode contactar uma antiga colega do G.Colégio Port...
  • Vamos tentar saber. responderemos em breve.
  • Sou neta de Delfina do Amaral Balula Cid, diretora...
  • Cerca do ano 1970 trabalhei no Bazar do Porto em C...
  • Também vi lá muitos filmes com a geral a 1 escudo
  • Se calhar ainda nos conhecemos
  • Não. Eu estive internado no Lar de São Luis de 194...
  • Meu Caro, no Facebook existe um Grupo do Colégio S...
  • Estive internado neste colegio de 1973-75 ,, gosta...
  • A conversa entre Dalila Rodrigues e o atual direto...

arquivos

blogs SAPO


Universidade de Aveiro