E diz o Poeta:

Caros amigos porViseu, junto seguem dois poemas inéditos, que espero sirvam
de reflexão para essa "estranha espècie" que são os poetas.

Margarida Xavier de Sá.



A ti, poeta,
que vais somando incertezas
nos gestos do teu rosto,
abraça os movimentos
condensados no silêncio
de todas as palavras,
e nas lágrimas
de sangue ainda presas.



Como ser poeta?

Ser canto-contra,
voz rouca, marginal,
impossíveis palavras,
asa suprema?

Como ser poeta?
Se o interior foco,
a incandescente chama,
o destemido pássaro
que habita nossa voz
nos ordena ser Poema?

publicado por porViseu às 23:09